Toxina Botulínica

A toxina botulínica, como o próprio nome diz, é uma toxina produzida por uma bactéria chamada Clostridium botulinum. Ela é usada para paralisar os músculos causadores das linhas de expressão.

Popularmente conhecida como botox, muitos podem pensar que os dois termos são sinônimos, mas, na realidade, Botox é o nome de uma marca que, dentre várias outras, fabrica e comercializa a toxina botulínica. Com o tempo, porém, quando nos referimos a um acabamos automaticamente também nos referindo ao outro.

Para que serve a toxina botulínica?

Ela pode tanto ser usada para fins estéticos quanto para o tratamento de doenças dermatológicas e neurológicas.

No entanto, a toxina se tornou mais conhecida por seus efeitos anti-idade, que contribuem para reduzir as linhas de expressão que surgem naturalmente com o passar dos anos.

Como ela age?

A toxina botulínica é produzida pela mesma bactéria que provoca o botulismo, uma doença considerada de alta gravidade e que provoca paralisia dos músculos, entre outros sintomas.

A propagação do botulismo se dá por meio da ingestão de água ou de alimentos contaminados e até mesmo pelo toque em superfícies que contenham a toxina, como maçanetas e cobertores.

No entanto, cientistas descobriram que, quando aplicada em doses bem pequenas, a toxina pode trazer benefícios estéticos e ajudar no tratamento de outras doenças. “Se aplicarmos quantidades mínimas de toxina botulínica em pontos específicos do rosto, por exemplo, conseguimos promover uma paralisia controlada dos músculos da face”, explica a dermatologista.

Isso porque a substância age como um bloqueador neuromuscular, impedindo a transmissão de estímulos dos neurônios para os músculos. Assim, não deixa que ocorra a contração muscular, seja parcial ou totalmente.

A aplicação controlada da toxina botulínica por um especialista não oferece qualquer risco de doença ao paciente.

Como funciona?

O tratamento consiste na aplicação de pequenas doses da toxina por meio de injeções e em pontos específicos da região que se deseja tratar.

O número de aplicações necessárias e os pontos em que serão aplicados são definidos de acordo com os objetivos do paciente e sob as recomendações médicas. A intenção é que os resultados do tratamento sejam sempre os mais naturais possível, por isso a opinião de um especialista é fundamental.

As injeções são superficiais, por isso, nas aplicações, é usada uma agulha bem pequena e fina, que causa pouca ou nenhuma dor aos pacientes. Em geral, não é preciso anestesiar o local antes do procedimento e tampouco exige-se repouso ou recuperação após o tratamento.

A aplicação da toxina botulínica não leva mais do que meia hora e é feita quase sempre em uma única sessão. Os efeitos já podem ser sentidos após somente 48 horas, mas eles não são definitivos. Normalmente, eles duram de 4 a 6 meses. Depois, é necessário fazer uma nova aplicação.

O valor do tratamento com toxina botulínica varia de acordo com a região do corpo que será tratada e é proporcional à quantidade de produto que será aplicado.

Onde posso aplicar?

É utilizado para tratar as marcas de expressão do terço superior da face. Ou seja, é bastante indicado para eliminar pés de galinha, rugas que se formam entre as sobrancelhas e as linhas horizontais na testa.

O procedimento relaxa a musculatura de forma a disfarçar a aparência das rugas já existentes e prevenir o surgimento de rugas mais profundas.

Mas também é possível fazer a aplicação em outras regiões do rosto, como:

Nas extremidades (caudas) das sobrancelhas, para deixá-las mais arqueadas. Isso porque, com o tempo, elas tendem a descer em decorrência da ação da gravidade;
No queixo, para reduzir rugas que aparecem no local;
No pescoço, para eliminar os vincos verticais que costumam surgir com o passar dos anos;
No colo, a fim de eliminar as linhas que surgem naturalmente com a idade;
Nas axilas, como forma de tratamento da hiperidrose axilar;
Nas mãos, para tratar a hiperidrose palmar;
Nos pés, para tratar a hiperidrose plantar;
Na gengiva, para disfarçar o sorriso gengival — quando a parte superior da gengiva aparece de forma desproporcional ao sorrir.