Escleroterapia (microvarizes)

As microvarizes e telangiectasias – dilatação das pequenas veias das pernas – é um problema muito comum, principalmente nas mulheres.

As microvarizes podem ocorrer em todo membro inferior, desde a coxa até o tornozelo. Na maioria das pessoas essas veias dilatadas representam apenas um problema estético e não causam nenhum prejuízo à saúde. Em algumas pessoas, entretanto, podem causar desconforto ou discreto edema (inchaço leve).

Não se sabe exatamente por que algumas pessoas têm veias dilatadas e outras não. Entretanto, parece que algumas famílias estão predispostas a desenvolverem essa condição. Outros fatores que podem favorecer o aparecimento das microvarizes são: obesidade, traumas, permanecer muito tempo em pé ou sentar com as pernas cruzadas, gravidez e uso de hormônios femininos que contêm estrógeno.

O uso de meias elásticas, o controle do peso, a prática regular de exercícios físicos e a suspensão dos hormônios podem promover algum benefício no tratamento.

Como funciona?

Atualmente a escleroterapia – também conhecida como cauterização ou queimação de vasinhos – é um dos tratamentos mais utilizados para o tratamento das varizes. Durante esse procedimento o médico injeta uma pequena quantidade de solução dentro da veia, utilizando uma seringa e uma agulha bastante fina.

A solução injetada provoca o branqueamento da área tratada e causa uma irritação na parede da veia, que se contrai e finalmente se fecha. Isso impede que o sangue penetre novamente naquela veia, evitando que as microvarizes reapareçam naquele local.

Cada veia pode necessitar de uma a três injeções para desaparecer totalmente e a maioria das microvarizes desaparece entre seis e oito semanas após o tratamento.

Resultado

A maioria das pessoas com microvarizes fica satisfeita com o resultado da escleroterapia. É importante esclarecer que, geralmente, são necessárias sessões repetidas, em intervalos variáveis, de acordo com a resposta de cada indivíduo.